Não Deixe Essas Desculpas te Impedirem de Aprender Inglês

  • “Eu quero me tornar fluente em Inglês, mas não sou bom nisso.”😢
  • “Eu tentei estudar Inglês anteriormente, mas falhei. Nunca serei fluente!” 😢😢
  • “Eu simplesmente não gosto de aprender línguas. Por que tentar então?” 😢😢😢

Se você está aprendendo um idioma ou conhece pessoas que estão, você provavelmente já ouviu elas dizerem alguma dessas frases. 

No entanto, nenhuma dessas frases têm fundamento científico. São apenas desculpas para não se lançar no aprendizado de uma língua. Vamos mergulhar nessa questão.

1. Mas eu tentei aprender um idioma antes e falhei. 

Infelizmente, é muito comum que pessoas pensem que elas falharam em aprender um idioma porque não tinham ‘talento’ ou ‘jeito’ para isso. Porém, as razões reais disso são muito mais simples: 

  • Falta de motivação. 
  • Estar ocupado(a) demais.
  • O método como aprender inglës..

Por exemplo, a maioria de nós estuda uma língua estrangeira na escola. Mas a maioria fez essa aula por obrigação, com uma estrutura e qualidade de ensino inferior à necessária, não porque tínhamos interesse no assunto ou qualquer motivo claro para usar o idioma. Isso leva à falta de motivação. 

Alguns de nós fez ou faz aulas após o expediente ou como atividade extra-curricular. Se você fica muito ocupado no trabalho ou na escola, já fica complicado ir para as aulas ou encontrar tempo para estudar. Aqui, estamos falando de uma situação em que não falhamos, a vida simplesmente nos atrapalhou com outros compromissos. 

Se suas aulas ensinaram toda gramática do mundo e vocabulário, mas não lhe deram oportunidade de praticar conversação de inglês, então, não pode esperar ser fluente. Esse é o típico caso em que um método errado foi utilizado – e acredite, isso é bem mais comum do que você imagina.

Com a motivação e o método corretos, no entanto, aprender não será um problema!

2. Mas não sou bom em aprender idiomas.

É verdade que algumas pessoas têm mais facilidade com idiomas que outras, mas isso não quer dizer que é impossível para alguém aprendê-los. Inclusive, em muitos casos, essas pessoas com uma dita ‘facilidade’ são mais desinibidas e têm na verdade, menos medo de errar. 

A maior parte de nós não é um matemático premiado, mas sabemos matemática básica.

Igualmente, a grande maioria não sabe preparar um prato digno de estrelas Michelin, mas ainda assim conseguimos aprender a fazer uma macarronada decente. 

Da mesma forma, podemos não ser escritores de best-sellers em línguas estrangeiras, mas nos tornarmos hábeis o suficiente no idioma para conversar, pedir um prato ou qualquer outra finalidade para que precisemos de outra língua.  

Então, ao invés de pensar que a fluência requer um certo tipo de talento, pense nela como uma habilidade. Qualquer habilidade, quanto mais praticada for, mais desenvolvida se tornará. Isso quer dizer que, qualquer um que estiver disposto a praticar regularmente pode desenvolver a fluência desejada.

Muitos alunos começam acreditando que não ‘levam jeito’ e, após algum tempo de prática diária com professores, ganham confiança e tornam-se fluentes no Inglês.

3. Mas eu não gosto de idiomas.

Não vamos mentir: é verdade que, quando você se interessa por línguas, o aprendizado é mais divertido e provavelmente você aprenda mais rápido. Mas gostar de um idioma não é a única coisa no quebra-cabeça do aprendizado.

Na verdade, é natural que boa parte dos alunos não gostem de idiomas, mas mesmo assim tenham sucesso em aprendê-los. Apenas pergunte a qualquer um que já se mudou para outra parte do mundo. 

“Mas…” você pode argumentar, “… eles só aprenderam porque precisavam da língua para sobreviver! Eu não estou nessa situação.” Isso pode ser verdade e, por isso, é fundamental que você encontre seus próprios motivadores para aprender. 

Ao invés de procurar por razões para amar o idioma que está aprendendo, pense no para quê você precisa dele:

  • Você quer uma promoção ou outro emprego?
  • Você quer estudar no exterior? 
  • Quer fazer amizades com pessoas de outras culturas?

Tente imaginar vocë fazendo cada uma dessas coisas. Mesmo que não ame o idioma que está aprendendo, definitivamente gostará dos resultados que vêm com o domínio dele. 

Sem “Mas”!

Nada está te impedindo de aprender Inglês.

Na Engoo, sabemos por experiência. Com nossas aulas particulares de inglês de 25 minutos, centenas de milhares de alunos alcançaram o que acreditavam ser impossível: a fluência no Inglês.

Se ainda não está convencido, aqui vai uma história de um de nossos alunos: Mutsumi, uma diretora de cinema no Japão.

Antes de estudar com nossos professores, Mutsumi tinha as mesmas dúvidas que se passam em sua cabeça. Por exemplo, quando perguntamos a ela se ela gostava de inglês, ela nos disse: “Eu odiava (risos). Era minha pior matéria na escola.” 

E ela realmente teve algumas experiências negativas aprendendo Inglês que a levaram a pensar que ela não era boa o suficiente nisso:

“Quando eu estava no ensino médio, o Inglês era minha pior matéria. No ensino fundamental, não era tão ruim, mas no ensino médio a gramática e o vocabulário se complicaram e tinha muito mais coisas que eu precisava memorizar – tanto que me senti sobrecarregada… Odiava

Inglês como matéria e ter que ser avaliada nela.”

Contudo, quando ela conquistou um emprego e precisou se comunicar com diretores estrangeiros, ela percebeu que precisava e queria falar mais em Inglês do que “sim”, “não” e “OK”.

Desde então, Mutsumi vem fazendo aulas particulares de Inglês com professores por cerca de um ano. Quando falamos com ela pela última vez, ela orgulhosamente nos contou que já era capaz inclusive de apresentar seus filmes em festivais internacionais de cinema ou mesmo discutir filmes com diretores de cinema de outros países.

Então, se você ainda está com dúvidas se conseguirá falar Inglês fluentemente, a resposta é “SIM!”. Apenas se dê uma chance. Além disso, não custa nada tentar a aula grátis da Engoo!